Por Que Dói?

{{ show.title }}Trailer Bonus Episode {{ selectedEpisode.number }}
{{ selectedEpisode.title }}
|
{{ selectedEpisode.title }}
By {{ selectedEpisode.author }}
Broadcast by

Neste podcast sobre endometriose, tiramos algumas das principais dúvidas sobre a doença, que provoca cólicas muito fortes e precisa de tratamento.
 
Endometriose é sinônimo de dor para muitas mulheres. Doença de diagnóstico demorado, ela tem como principal característica cólicas fortíssimas, fluxo menstrual intenso e dor durante a relação sexual.
No terceiro episódio do podcast “Por Que Dói?”, conversamos com a ginecologista Kelly Cristina Tavares, que explicou as principais formas de tratamento da doença.
 

Ouça também pelo YouTube:
 

 
Leia a seguir a entrevista na íntegra:
Juliana Conte – Olá, meu nome é Juliana Conte, sou repórter do Portal Drauzio Varella, e está no ar mais um episódio do Podcast Por que Dói. O tema de hoje é endometriose, uma doença de diagnóstico demorado e que atinge cerca de sete milhões de brasileiras.
Só para explicar bem rapidamente — porque quem vai fazer isso hoje é a nossa entrevistada —, a endometriose ocorre quando as células do endométrio (que é a camada que reveste a parte interna do útero) não são expelidas durante a menstruação e vão parar em outras regiões do corpo, como ovário, intestino, ânus… E esse crescimento fora do útero causa muitos problemas — o principal deles é a dor. O primeiro sinal de alerta da doença são as cólicas muito fortes, e que vão ficando piores a cada ciclo. O sangramento excessivo também é um sinal de alerta; dor para fazer xixi [e] para evacuar também não são comuns [para uma pessoa saudável/sem endometriose, no caso]; e a dor durante o sexo.
Para falar mais sobre essa questão que aparece muito nas redes sociais do doutor Drauzio, a gente convidou hoje a Doutora Kelly Alessandra da Silva Tavares, que é ginecologista, obstetra, especialista em endoscopia e cirurgia ginecológica. Boa tarde, doutora Kelly. Obrigada pela presença.
 
Dra. Kelly – Boa tarde. Muito prazer em estar aqui. 
 
Apenas uma explicação rápida: a endometriose ocorre quando a célula do endométrio — que é aquela camada que reveste o útero — vai para outro lugar e não é expelida durante a menstruação. A primeira pergunta em que fiquei pensando é por que é que o endométrio vai parar em outras cavidades do corpo? Por que é que acontece isso?
Na verdade, o endométrio é a camada que reveste o útero por dentro, e é o que a gente elimina na menstruação. A mulher com endometriose vai eliminar este sangue, então esse endométrio vai ser eliminado, [sim], mas há várias teorias sobre isso, [como por exemplo, a] do endométrio fora da cavidade uterina. A mais aceita é a da menstruação retrógrada, ou seja, este sangue [eliminado] reflui através das trompas e cai na cavidade abdominal, e a partir dela ele [o sangue] vai implantar-se no intestino, na bexiga, no peritônio — que é uma membrana que recobre os órgãos pélvicos e também a parede abdominal —, atrás do colo do útero, na vagina… Várias localizações para esses implantes — as quais gente chama de implantes endometrióticos.
Existem outras [teorias também]: [tal como] a teoria da inflamação, da metaplasia celômica, imunológica. Porque na verdade, a maioria de nós, mulheres, tem a menstruação que vai refluir, porém nem todo mundo vai ter endometriose. 

Ah, entendi… E no caso, quando essas células do endométrio vão parar em outro lugar isso acaba gerando dor em muitas pacientes…
É, a gente começa a desconfiar que uma mulher tem endometriose quando ela tem uma cólica muito dolorosa. Então, não é uma simples cólica menstrual. Ela [a paciente com endometriose] tem uma cólica muito intensa, que vai piorando com o passar dos anos, é uma mulher que também tem dor durante o ato sexual, principalmente quando, na penetração do pênis,

Show Notes

Neste podcast sobre endometriose, tiramos algumas das principais dúvidas sobre a doença, que provoca cólicas muito fortes e precisa de tratamento.
 
Endometriose é sinônimo de dor para muitas mulheres. Doença de diagnóstico demorado, ela tem como principal característica cólicas fortíssimas, fluxo menstrual intenso e dor durante a relação sexual.
No terceiro episódio do podcast “Por Que Dói?”, conversamos com a ginecologista Kelly Cristina Tavares, que explicou as principais formas de tratamento da doença.
 

Ouça também pelo YouTube:
 

 
Leia a seguir a entrevista na íntegra:
Juliana Conte – Olá, meu nome é Juliana Conte, sou repórter do Portal Drauzio Varella, e está no ar mais um episódio do Podcast Por que Dói. O tema de hoje é endometriose, uma doença de diagnóstico demorado e que atinge cerca de sete milhões de brasileiras.
Só para explicar bem rapidamente — porque quem vai fazer isso hoje é a nossa entrevistada —, a endometriose ocorre quando as células do endométrio (que é a camada que reveste a parte interna do útero) não são expelidas durante a menstruação e vão parar em outras regiões do corpo, como ovário, intestino, ânus… E esse crescimento fora do útero causa muitos problemas — o principal deles é a dor. O primeiro sinal de alerta da doença são as cólicas muito fortes, e que vão ficando piores a cada ciclo. O sangramento excessivo também é um sinal de alerta; dor para fazer xixi [e] para evacuar também não são comuns [para uma pessoa saudável/sem endometriose, no caso]; e a dor durante o sexo.
Para falar mais sobre essa questão que aparece muito nas redes sociais do doutor Drauzio, a gente convidou hoje a Doutora Kelly Alessandra da Silva Tavares, que é ginecologista, obstetra, especialista em endoscopia e cirurgia ginecológica. Boa tarde, doutora Kelly. Obrigada pela presença.
 
Dra. Kelly – Boa tarde. Muito prazer em estar aqui. 
 
Apenas uma explicação rápida: a endometriose ocorre quando a célula do endométrio — que é aquela camada que reveste o útero — vai para outro lugar e não é expelida durante a menstruação. A primeira pergunta em que fiquei pensando é por que é que o endométrio vai parar em outras cavidades do corpo? Por que é que acontece isso?
Na verdade, o endométrio é a camada que reveste o útero por dentro, e é o que a gente elimina na menstruação. A mulher com endometriose vai eliminar este sangue, então esse endométrio vai ser eliminado, [sim], mas há várias teorias sobre isso, [como por exemplo, a] do endométrio fora da cavidade uterina. A mais aceita é a da menstruação retrógrada, ou seja, este sangue [eliminado] reflui através das trompas e cai na cavidade abdominal, e a partir dela ele [o sangue] vai implantar-se no intestino, na bexiga, no peritônio — que é uma membrana que recobre os órgãos pélvicos e também a parede abdominal —, atrás do colo do útero, na vagina… Várias localizações para esses implantes — as quais gente chama de implantes endometrióticos.
Existem outras [teorias também]: [tal como] a teoria da inflamação, da metaplasia celômica, imunológica. Porque na verdade, a maioria de nós, mulheres, tem a menstruação que vai refluir, porém nem todo mundo vai ter endometriose. 

Ah, entendi… E no caso, quando essas células do endométrio vão parar em outro lugar isso acaba gerando dor em muitas pacientes…
É, a gente começa a desconfiar que uma mulher tem endometriose quando ela tem uma cólica muito dolorosa. Então, não é uma simples cólica menstrual. Ela [a paciente com endometriose] tem uma cólica muito intensa, que vai piorando com o passar dos anos, é uma mulher que também tem dor durante o ato sexual, principalmente quando, na penetração do pênis,

What is Por Que Dói??

Dor de ouvido, dor de cabeça, dor do parto…sentimos vários tipos de dor ao longo da vida. No entanto, cada dor tem suas próprias particularidades e exige tratamento específico. O podcast Por Que Dói? vem para falar sobre isso.